História & Estórias

Archive for the ‘relaxar’ Category

CARNAVAL DA VIDA

Está chegar o carnaval
Festejos de emoção e alegria
Festa em que não há rival
Na dança, na agitação e na folia!unnamed

É tempo de tirar a máscara
É tempo de descontração
Mostrar limpa a minha cara
Ou sonhar em diversão?

O que fazer, como ser ativa
Quando é a vida é um carnaval,
Com a guerra gélida, mas viva
Onde o ódio é um vendaval?

Com a vida, saber lidar
Sem máscara e sem fantasiaimages
A dor e o pranto evitar
E será carnaval todo o dia!

Máscaras a real alma ocultam
Vestidos coloridos embelezam
Músicas alegres bailamos
E a vida ritmamos!

Quando no silêncio da noite
A disfarce for tirar
É aí nesse singelo instante
Que o meu verdadeiro SER irei mostrar!

clp3605152Fernand@maro

    LER É UM PRAZER!

         É uma manhã de domingo de inverno! O dia acordou solarengo. Vou aproveitar o sol, recarregar baterias e acumular energia para vencer a semana que se pressupõe ser agitada e trabalhosa. Pego num livro e sento-me na janela que se debruça sobre a paisagem, procurando usufruir de um dos meus prazeres.
         Ler é um prazer, não só para quem cresceu entre livros e conquistou a cada página lida, o gosto pela leitura, como também para aqueles que buscaram aventuras e encontraram essas máquinas do tempo nas casas de amigos e vizinhos ou mesmo nas estantes da Biblioteca Itinerante Calouste Gulbenkian que, visitava de quinze em quinze dias as aldeias do interior. Eu fui uma dessas curiosas e aventureiras que descobriram que cada livro guarda dentro mundos desconhecidos e atraentes, tempos com lugares mágicos e fantásticos com pessoas monstruosas e admiráveis. Eu sou uma dessas que se apercebeu que cada livro abriga outras memórias, outras formas de ser e de estar, de sentir, de comunicar, de rir…, pelo que persiste no ato da leitura.
         Ler é um prazer, não uma obrigação!

    Fernand@maro

    MEMÓRIAS DE VERÃO

    Seja uma bebida ao pôr do sol, um passeio ao entardecer, um piquenique à beira rio ou uma viagem de sonho. O verão é tempo de férias, é tempo de descansar com sabor a praia e a campo, a alegria e descontração.

    O verão da minha infância cheira a aldeia, a terra e a fruta. Era quando as férias duravam 3 meses e chegava mesmo a ter saudades da escola. Era o tempo das cigarras, das tarde e noites quentes, em que deitada na varanda observava o céu estrelado e imaginava-me a viajar pelo espaço infinito à procura de um príncipe encantado montado no seu cavalo alado da cor do arco íris ou ser aconchegada e embalada nos braços da estrela mais brilhante, a Estrela Polar.

    Nasci e vivi a minha infância numa pacata, mas linda aldeia alto duriense. Para estudar tive que ir para a cidade e somente regressava à aldeia e à casa paterna no período das férias. Mas sem dúvida que as minhas férias preferidas eram as do verão. Era o tempo de rever os amigos, era o tempo dos bailaricos e das paixonetas, era o tempo dos fins de tarde abafados, já depois do banho tomado no tanque ou na fonte. Era irmos espreitar, o pôr do sol, na torre mais alta do castelo e avistar o serpentear da coluna de fumo do comboio que corria e apitava junto ao Douro. Era jogarmos à bola ou à bilharda, brincarmos às escondidas ou às apanhadas, era irmos até à ribeira Teja chapinarmos nas poças de água que ela ainda tinha ou então apanhar as amoras, rapinar as maçãs e as peras das árvores que por lá havia. No final do verão assaltávamos, também, os vinhedos à procura da uva moscatel ou do dedo de dama, que eram as mais apreciadas.

    No meu caso, as férias grandes eram acima de tudo a grande oportunidade de ler. Adorava histórias de príncipes e princesas, fadas e bruxas, em que o bem triunfava sobre o mal e o amor saía sempre vencedor. Gostava também das  histórias de animais personificados, quase sempre começadas por: “Há muito, muito tempo, na época em que os animais falavam…” Nessa altura era utente assídua da Biblioteca Itinerante Calouste Gulbenkian, que nos visitava regularmente. Aos seus abalizados funcionários devo o gosto que ainda tenho pela leitura. Foram eles  que muito contribuíram para esta minha paixão pelos livros, pelas letras. Recordo que simpaticamente me aconselhavam os livros adequados à minha idade e me deixavam trazer mais dos que os permitidos.

    As férias na praia só as tive na idade adulta, quando fui para a faculdade. Hoje são as minhas preferidas! Adoro passear à beira mar, chapinhar na água, pontapear as ondas e saborear e cheirar a brisa marinha! Apraz-me observar o sol espraiar-se no mar e criar um resplandecente por do sol  em tons de laranja e amarelo! Gosto de apreciar a beleza do verde e do azul  do mar  e sonhar com as terras distantes e os lugares recheados de magia que são banhadas por aquelas águas imensas! Como gostaria de viajar na crista das ondas e ser transportada para essas aventuras fantásticas e encantatórias!

    Como gostaria de regressar aos verões da minha infância, em que tudo era simples e muito feliz, mas eu não o sabia!

    Fernand@maro

    TUDO É TEMPO

    Ontem, hoje, amanhã

    Tudo é tempo!

    Tempo passado

    Tempo vivido

    Tempo sofrido

    Tempo sentido!

    Passado, presente, futuro!

    Presente divertido

    Vivido com energia

    Que brilhará amanhã

    Em tempo de alegria

    No futuro irá brotar

    O que no presente semear!

    Tudo é tempo

    Antes, durante, depois

    Antes pensar

    Durante delinear

    Depois realizar

    Tempo de saborear!

    Tudo é tempo

    De aproveitar!

    Fernand@maro

    É FÁCIL TROCAR AS PALAVRAS

    “É fácil trocar as palavras,
    Difícil é interpretar os silêncios!

    É fácil caminhar lado a lado,
    Difícil é saber como se encontrar!16865147_1586429124724607_2836964547881594287_n

    É fácil beijar o rosto,
    Difícil é chegar ao coração!

    É fácil apertar as mãos,
    Difícil é reter o calor!

    É fácil sentir o amor,
    Difícil é conter sua torrente!

    Como é por dentro outra pessoa?
    Quem é que o saberá sonhar?

    A alma de outrem é outro universo
    Com que não há comunicação possível,
    Com que não há verdadeiro entendimento.

    Nada sabemos da alma
    Senão da nossa;

    As dos outros são olhares,
    São gestos, são palavras,

    Com a suposição
    De qualquer semelhança no fundo.”

    Fernando Pessoa

    QUE BOM É ESTAR DE FÉRIAS!!!

    Que bom é estar de férias!!!

    Depois de um ano cansativo, cheios de altos e baixos chegou, agora, a hora de esquecerIMG_20170817_125555 os problemas e relaxar. Chegou o momento de abrir a porta e possibilitar a entrada de energias positivas que alaguem cada espaço de felicidade e harmonia, que me tragam a liberdade de descobrir o amanhecer e absorver o entardecer.

    Férias rimam com tranquilidade e alegria, com o prazer de saber que o tempo é meu e só meu e posso fazer o que, verdadeiramente, tenho vontade de fazer.IMG_20170813_134525

    Férias são como uma arca misteriosa, de onde posso extrair experiências intensas e extraordinárias que me permitam sentir a alegria da vida e viver de coração aberto.

    Que bom é o descanso!

    Que sensação agradável poder despejar-me das correrias, dos atrasos, dos toques de entrada, do vaivém diário e rotineiro…

    Que salutar é poder mandriar no meu sofá ou na praia, sentindo a água do mar acariciar os meus pés, sentindo a brisa marinha roçar o meu rosto!

    Que tonificante é poder andar sem relógio, deixar-me levar pelo tempo!

    Como é benéfico não ter compromissos e poder caminhar num parque ouvindo a melodia dos pássaros e o bailado suave da ramagem das árvores ou apreciar e escutar a contradança das ondas do mar!

    Que prazer é poder ler os meus autores preferidos, por vezes esquecidos e poder decidir o que fazer ou não fazer, como é o caso de escrever, o que tenho negligenciado neste espaço!

    Que bom é estar de férias!!!

    Fernand@maroferias-1514986808

     

    Nuvem de etiquetas