História & Estórias

Archive for the ‘alegria’ Category

PERGUNTEI AO TEMPO

Perguntei ao tempo
O que faço aqui,
O que faço aqui, ali ou aí.
Respondeu o tempo,
Que apesar do contratempo
E do meu temperamento
Vivesse o momento
Como se fosse um passatempo.3456
Disse-me, ainda, o tempo:
– Vive cada dia com alegria
Alimenta a harmonia
E tem esperança
Que após a tempestade
Virá a bonança!
Respondi eu então:
– Obrigada tempo!
Vou ter paciência,
Viver com sapiência
E a vida aproveitar
E com ela cantar,
Pular e dançar!
A vida vou embalar,
Afagar com emoção,
Abrigá-la no coração!

                                                                          Fernand@maro

A PRIMAVERA SORRIDENTE!

A Primavera sorridente
Está aqui, aí e ali,
No jardim de todos vós
Que é meu e teu,
É de todos nós!

Na Primavera sorridente5243845
O amor se  faz presente!
Emanados das flores
Há cores, há odores,
E aprazíveis sabores!

Há alegria e harmonia,
Uma grande a inspiração
Cantata em sinfonia
Da vida com melodia
Natureza em renovação!

No jardim primaveril
Que cultivo com o coração
Enlaço a flor-de-abril
Pincelada de emoção
Alegria, amor e paixão!

No jardim de todos nós
Renasce a esperança
Tu e eu em unidade,
Brilha a tenacidade,
Matizada de confiança!

No jardim de todos nós
A Primavera sorri!
                                                              Fernand@maro

20 DE MARÇO – DIA INTERNACIONAL DA FELICIDADE

Hoje, 20 de março, comemora-se o Dia Internacional da Felicidade. Este foi declarado pela Organização das Nações Unidas (ONU) em junho de 2012, alegando que “a busca da felicidade é um dos objetivos fundamentais do ser humano”.
Uma vez que o Butão mede a felicidade da sua população da mesma forma como mede o Produto Interno Bruto (PIB), este decidiu propor à ONU uma data especial para lembrar aos
O FIB, como é chamado o índice da felicidade, é composto por dez pilares: educação para a inclusão social, preservação e promoção dos valores culturais, resiliência ecológica, boa governança, vitalidade comunitária, saúde, desenvolvimento sustentável, diminuição da jornada de trabalho, desporto, igualdade entre géneros e liberdade de pensamento.
Assim, em 2013, comemorou-se pela primeira vez o Dia Internacional da Felicidade.

Cantiga

Nas ondas da praia4f10fc87571aa504331b8622c0788136
Nas ondas do mar
Quero ser feliz
Quero me afogar.

Nas ondas da praia
Quem vem me beijar?
Quero a estrela-d’alva
Rainha do mar.

Quero ser feliz
Nas ondas do mar
Quero esquecer tudo
Quero descansar.

                                                                          Manuel Bandeira

CARNAVAL DA VIDA

Está chegar o carnaval
Festejos de emoção e alegria
Festa em que não há rival
Na dança, na agitação e na folia!unnamed

É tempo de tirar a máscara
É tempo de descontração
Mostrar limpa a minha cara
Ou sonhar em diversão?

O que fazer, como ser ativa
Quando é a vida é um carnaval,
Com a guerra gélida, mas viva
Onde o ódio é um vendaval?

Com a vida, saber lidar
Sem máscara e sem fantasiaimages
A dor e o pranto evitar
E será carnaval todo o dia!

Máscaras a real alma ocultam
Vestidos coloridos embelezam
Músicas alegres bailamos
E a vida ritmamos!

Quando no silêncio da noite
A disfarce for tirar
É aí nesse singelo instante
Que o meu verdadeiro SER irei mostrar!

clp3605152Fernand@maro

    MEMÓRIAS DE VERÃO

    Seja uma bebida ao pôr do sol, um passeio ao entardecer, um piquenique à beira rio ou uma viagem de sonho. O verão é tempo de férias, é tempo de descansar com sabor a praia e a campo, a alegria e descontração.

    O verão da minha infância cheira a aldeia, a terra e a fruta. Era quando as férias duravam 3 meses e chegava mesmo a ter saudades da escola. Era o tempo das cigarras, das tarde e noites quentes, em que deitada na varanda observava o céu estrelado e imaginava-me a viajar pelo espaço infinito à procura de um príncipe encantado montado no seu cavalo alado da cor do arco íris ou ser aconchegada e embalada nos braços da estrela mais brilhante, a Estrela Polar.

    Nasci e vivi a minha infância numa pacata, mas linda aldeia alto duriense. Para estudar tive que ir para a cidade e somente regressava à aldeia e à casa paterna no período das férias. Mas sem dúvida que as minhas férias preferidas eram as do verão. Era o tempo de rever os amigos, era o tempo dos bailaricos e das paixonetas, era o tempo dos fins de tarde abafados, já depois do banho tomado no tanque ou na fonte. Era irmos espreitar, o pôr do sol, na torre mais alta do castelo e avistar o serpentear da coluna de fumo do comboio que corria e apitava junto ao Douro. Era jogarmos à bola ou à bilharda, brincarmos às escondidas ou às apanhadas, era irmos até à ribeira Teja chapinarmos nas poças de água que ela ainda tinha ou então apanhar as amoras, rapinar as maçãs e as peras das árvores que por lá havia. No final do verão assaltávamos, também, os vinhedos à procura da uva moscatel ou do dedo de dama, que eram as mais apreciadas.

    No meu caso, as férias grandes eram acima de tudo a grande oportunidade de ler. Adorava histórias de príncipes e princesas, fadas e bruxas, em que o bem triunfava sobre o mal e o amor saía sempre vencedor. Gostava também das  histórias de animais personificados, quase sempre começadas por: “Há muito, muito tempo, na época em que os animais falavam…” Nessa altura era utente assídua da Biblioteca Itinerante Calouste Gulbenkian, que nos visitava regularmente. Aos seus abalizados funcionários devo o gosto que ainda tenho pela leitura. Foram eles  que muito contribuíram para esta minha paixão pelos livros, pelas letras. Recordo que simpaticamente me aconselhavam os livros adequados à minha idade e me deixavam trazer mais dos que os permitidos.

    As férias na praia só as tive na idade adulta, quando fui para a faculdade. Hoje são as minhas preferidas! Adoro passear à beira mar, chapinhar na água, pontapear as ondas e saborear e cheirar a brisa marinha! Apraz-me observar o sol espraiar-se no mar e criar um resplandecente por do sol  em tons de laranja e amarelo! Gosto de apreciar a beleza do verde e do azul  do mar  e sonhar com as terras distantes e os lugares recheados de magia que são banhadas por aquelas águas imensas! Como gostaria de viajar na crista das ondas e ser transportada para essas aventuras fantásticas e encantatórias!

    Como gostaria de regressar aos verões da minha infância, em que tudo era simples e muito feliz, mas eu não o sabia!

    Fernand@maro

    Nuvem de etiquetas