História & Estórias

Archive for 23/02/2020

DIA DE DIVERSÃO, DIA DE COZER O PÃO!

Ah, que saudades do cheirinho a pão acabadinho de fazer num bom forno de lenha e da sensação suave e ao mesmo tempo pegajosa de pegar, bater e moldar a massa da qual a minha mãe me deixava fazer uma bola de água fria ou uma bola de azeite! Estas são algumas das boas lembranças que guardo da minha infância.

O dia de cozer o pão num dos fornos comunitários da aldeia era sempre dia de festa e de diversão, tarefa que era executada todas as semanas. Apesar dos ralhetes da minha mãe, nesse dia eu brincava com a farinha e com a massa, ficando toda enfarinhada, saltava sobre a lenha e jogava as escondidas. Era um dia diferente dos outros, quase dia de festa, pois sabia que no final da fornada tinha direito a comer um pedaço da bola que eu tinha ajudado a amassar.

O pão era amassado, sovado, levedado e moldado nas masseiras (amasseiras ou maceiras) e depois cozido num dos fornos comunitários que havia na aldeia.

Estes fornos eram grandes e feitos em forma de abóbada com pedra dura e rija. Cada fornada levava o pão fabricado com 5 a 6 alqueires de trigo ou centeio.

Em Numão havia dois fornos comunitários que eram utilizados pelas mulheres da aldeia. Havia o forno do Sr. Dr. João Gouveia, cuja a forneira foi durante muitos anos a Sra. Ricardina e o forno do Sr. Ferreira que teve como forneiras a Sra. Serafina e a Sra. Clarisse. Foram mulheres de garra e de grande tenacidade, características únicas das mulheres numantinas! A elas o nosso bem haja!

Era a forneira que aquecia o forno, tratava da lenha, deitava o pão e cuidava dele durante a cozedura, pelo que tinha direito a uma “maquia” que era um pão por fornada.

Quando o forno estava quente eram varridas as brasas para os lados e com uma comprida pá eram colocados os pães dentro do forno, nos quais antes era feito um sinal, para que cada mulher reconhecesse os seus pães. Era então a altura de pôr a conversa em dia enquanto se esperava que o pão cozesse.

Nos dias de festa era também no forno que se coziam os folares, as bolas de carne , os bolos , as súplicas ou outros doces e manjares.

Fernand@maro

Nuvem de etiquetas