História & Estórias

imagesCAKW5HYRFoi D. Fernando II, marido da rainha D. Maria II, que, no séc. XIX, introduziu, em Portugal, a tradição da Árvore de Natal e das coroas do advento.

Até meados do século XIX, a tradição do Natal, em Portugal, tinha como centro a figura do Presépio.

Em 1836, a Rainha D. Maria II casou-se com D. Fernando II, o Rei-Artista. D. Fernando, além de se dedicar à pintura e à música, foi mecenas restaurando de vários monumentos, alguns em mau estado, como o Mosteiro da Batalha, o Convento de Mafra, o Convento da Ordem de Cristo, em Tomar, o Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa e patrocinou os estudos de vários portugueses em outros países, assim como falava e escrevia muito bem em português, algo difícil para a maioria dos alemães.

Do seu casamento com D. Maria II nasceram onze filhos, dois dos quais foram mais tarde reis, D. Pedro V e D. Luís I. Quatro morreram recém-nascidos e três (entre eles o rei D. Pedro V) morreram jovens, devido à febre tifóide.

D. Maria II  morreu no Palácio das Necessidades, a 15 de Novembro de 1853, em consequência de parto.

D. Fernando tinha passado a infância comemorando o Natal segundo a velha tradição germânica de decorar um pinheiro com velas, bolas e frutos. Por isso, quando começaram a nascer os seus filhos com D. Maria II D. Fernando decidiu animar o palácio com um Natal de tradições germânicas.

Segundo registos e gravuras do próprio rei, D. Fernando II, na Noite de Natal, vestia-se de S. Nicolau e distribuía presentes aos seus filhos numa festa genuinamente familiar.

1289814398m6bSFAMas a grande divulgação da Árvore de Natal deu-se no século XX, na década de 60, devido à revolução nos meios de informação e comunicação, como a televisão, altura em que, também, a figura do “Pai Natal” começou a “ganhar terreno” ao Menino Jesus – única verdadeira razão pela qual se celebra o Natal, pois Natal significa nascimento; neste caso, é a celebração do nascimento de Jesus Cristo.

Advertisements

Comentários a: "A ORIGEM DA ÁRVORE DE NATAL EM PORTUGAL" (5)

  1. «…a tradição do Natal, em Portugal, tinha como centro a figura do Presépio.. …»

    Tinha o Presépio como Tradição e como Centro a figura do Menino Jesus …
    Tinha e Continua a têr .Em primeiro lugar porque O Natal É o Menino .Não há Natal , se O Menino Jesus , não fôr a Figura e o Motivo Centrais .
    Em segundo lugar a Árvora de Natal , por muito querida que nos seja , é um Aderêço do Natal e está em segundo plano .

    Santo Natal na LUZ do Menino !

  2. D. Maria II e D. Fernando II tiveram 11 filhos e não 7, embora alguns tenham morrido à nascença, mas nasceram.

    • profactiva said:

      Tem toda a razão! D. Maria II e D. Fernando II tiveram onze filhos, tendo quatro morrido recém-nascidos e três muito jovens. Somente sete crianças/filhos tiveram a oportunidade de receberem do pai, o rei D. Fernando, vestido de S. Nicolau, presentes na noites de Natal.

  3. Oúltimo filho de D.Maria II não nasceu. Morreu com ela

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: