História & Estórias

Archive for Junho, 2011

A Maior Flor do Mundo – José Saramago

E se as histórias para crianças passassem a ser leitura obrigatória para adultos?
Seriam eles capazes de aprender realmente o que há tanto tempo têm andado a ensinar?
José Saramago

Anúncios

Não Sei Em Quem Vou Votar

A Eleitora Indecisa

Identifico-me perfeitamente com esta canção de Vasco PalmeirimMúsica do eleitor indeciso, da Rádio comercial.

Acordo intranquilo e abatido
eu vou votar Domingo – mas não faço puto de ideia em que partido
Estou nervoso, ansioso, é isso que eu noto
Não sei para onde é que vai o meu sentido de voto
Preciso de alguém – uma pessoa em que acredite
Até vi todos os debates moderados pela Judite
E pareceu-me que todos disseram a mesma cena
E eu ouvi na Comercial todos os tempos de antena

Sócrates, Passos, Jerónimo, Louçã e Paulo Portas
este sempre nos mercados, com velhotas todas tortas
É sempre o mesmo filme – já faz parte da campanha
Mais um beijo da velhinha que é daqueles que arranha
O povo não quer mais que esta situação aperte
O povo quer autocolantes e uma t-sherte
O que eu queria era bom futuro no horizonte
E já agora se possivel menos retenção na fonte

Ando pela rua e olho prós cartazes
Graças ao photoshop – é tudo bons rapazes
Todos dizem ser a melhor solução pra Portugal
Todos dizem ser capazes de encontrar o Santo Graal
O que é que vou fazer? Direita, esquerda ou centro
Quando chegar à urna, o que é que vou meter lá dentro?

Não sei o que fazer! É um ai jesus!
Não sei em que partido eu vou por a minha cruz

Eu não sei…
O que vou por no boletim

Eu só sei
que eu quero o melhor pra mim…

Eu nao sei em quem votar – eu preciso de ajuda
Os partidos são mais que as mães – alguém que me acuda
o PS, o PSD, o CDS e o PDA
o PND, O PNR, o MPT e o PH
a CDU, o PPM, o BE e o PPV
e o PCTP MRPP
o PTP – Partido Trabalhista Português
e o MEP – que é mapa em inglês
P-O-U-S – aqui fiquei pensativo
Achei que fosse o pretérito perfeito do indicativo
E por ultimo um partido que nao fazia ideia
É o PAN – que é também uma bela onomatopeia
Estes são os partidos – já os sei de cor
já só me falta saber em qual eu vou votar
Eu lá estarei Domingo para escolher nosso Primeiro
A minha avó acha ¿que o que eles querem é poleiro!¿

Eu não sei…
O que vou por no boletim
Eu só sei
que eu quero o melhor pra mim…
Rádio Comercial

Meninos de Todas as Cores e os Direitos da Criança

O Dia Mundial da Criança em Portugal é celebrado a 1 de Junho. A data é celebrada em vários países, contudo a data de comemoração difere de país para país.
As Nações Unidas aprovaram a 20 de Novembro de 1959 a Declaração dos Direitos da Criança. Estava-se num período pós 2ª Guerra Mundial, em 1945. Os países da Europa e Oriente , viviam uma grave crise económica e social. As populações destes países viviam muito mal, em especial as crianças. Muitas crianças ficaram órfãs, com muita fome, viviam em condições desumanas de sobrevivência, e muitas das que tinham ainda seus pais vivos foram obrigadas de ir trabalhar para contribuir para o sustento da família.
Foi quando em 1946, a ONU (Organização das Nações Unidas), procurou mudar esta situação, criou a UNICEF que é conhecida mundialmente pelo que faz pelas crianças em todo o mundo! Em 1950 a Federação Democrática Internacional das Mulheres, propos à ONU que se criasse um dia dedicado às crianças em todo o mundo. Este dia foi comemorado pela primeira vez em 1 de Junho de 1950. A ONU reconheceu desde então que qualquer criança, independentemente da raça, cor, sexo, o direito a:

    1. amor e compreensão;
    2. alimentação;
    3. cuidados médicos;
    4. educação ;
    5. protecção contra todas as formas de exploração;
    6. crescer num clima de Paz .

Clica aqui para veres um powerpoint sobre os Direitos da Criança Direitos_criança

Meninos de todas as cores

    Era uma vez um menino branco chamado Miguel, que vivia numa terra de meninos brancos e dizia:

      É bom ser branco
      porque é branco o açúcar, tão doce,
      porque é branco o leite, tão saboroso,
      porque é branca a neve, tão linda.

    Mas certo dia o menino partiu numa grande viagem e chegou a uma terra onde todos os meninos eram amarelos. Arranjou uma amiga chamada Flor de Lótus, que, como todos os meninos amarelos, dizia:

      É bom ser amarelo
      porque é amarelo o Sol
      e amarelo o girassol
      mais a areia da praia

    O menino branco meteu-se num barco para continuar a sua viagem e parou numa terra onde todos os meninos são pretos. Fez-se amigo de um pequeno caçador chamado Lumumba que, como os outros meninos pretos, dizia:

      É bom ser preto
      como a noite
      preto como as azeitonas
      preto como as estradas que nos levam para
      toda a parte.

    O menino branco entrou depois num avião, que só parou numa terra onde todos os meninos são vermelhos.
    Escolheu para brincar aos índios um menino chamado Pena de Águia. E o menino vermelho dizia:

      É bom ser vermelho
      da cor das fogueiras
      da cor das cerejas
      e da cor do sangue bem encarnado.

    O menino branco foi correndo mundo até uma terra onde todos os meninos são castanhos. Aí fazia corridas de camelo com um menino chamado Ali-Babá, que dizia:

      É bom ser castanho
      como a terra do chão
      os troncos das árvores
      é tão bom ser castanho como um chocolate.

    Quando o menino voltou à sua terra de meninos brancos, dizia:

      É bom ser branco como o açúcar
      amarelo como o Sol
      preto como as estradas
      vermelho como as fogueiras
      castanho da cor do chocolate.

    Enquanto, na escola, os meninos brancos pintavam em folhas brancas desenhos de meninos brancos, ele fazia grandes rodas com meninos sorridentes de todas as cores.
    Luísa Ducla Soares