História & Estórias

Soneto sem a letra “A”
Sinto-me só neste requisito
Preciso, métrico e idilioso
Interregno de mim: Vou ou fico?
Dizem ser de mestre este esforço.

O soneto por si só lhe excluiu,
E eu tento seguir seu intento
Inteligente ou negligente buliu,
Com meu ego subtil onde sustento;

Escrever um soneto sem ser mestre…
É dificil, por si só um tormento…
Digo-vos, excluir este elemento…

Procurei muito bem no cerebelo…
Encontrei, o que serviu no momento;
No décimo quarto, meu pensamento.
Cecília Rodrigues

Soneto sem a letra “A”
Os versos que componho e vos ofereço
Pensei-os num momento bem esquisito!
É como se exibindo isto que teço
Eu visse que consigo um belo escrito…

Foi-se-me um “pormenor”(*)… nisso medito;
Sem esse condimento, que mereço,
Como é que pode ser isto bonito
Se todos os meus termos, suo e meço?

Esconde-se por certo (ou é omisso)
E teclo sem o ter… ó que feitiço!
Sei bem que sempre é, precioso, útil;

Porém é com os meios de que disponho
Que deixo os versos (coxos) que componho;
– Desculpem se vos dei muito de fútil!
Joaquim Sustelo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: